Microempreendedor Individual: Veja o ranking das 10 profissões que mais possuem MEI

Microempreendedor Individual: Veja o ranking das 10 profissões que mais possuem MEI. Com 10 milhões de MEIs no país, profissionais encontraram na formalização uma alternativa para o desemprego.

A pandemia do coronavírus e a crise econômica causaram um aumento na taxa de desemprego, atingindo 12,9 milhões de brasileiros.

E com isso, o número de cadastros de Microempreendedor Individual no Portal do Governo cresceu.

Dentre essas pessoas que agora são Microempreendedor Individual (MEI), profissões da área da beleza como cabeleireiros, pedicures e manicures são as que mais possuem registros.

Além disso, isso acontece uma vez que esses serviços, geralmente, estão ligados a empregos informais.

Portanto, para sanar isso em 2017, foi criada a Lei do Salão Parceiro, para que fosse possível começar a contratar profissionais como parceiros, sem assinar Carteira de Trabalho, celebrando contrato de parceria.

Segundo Alexandre de Carvalho, fundador do Easymei, plataforma recém lançada de auxílio e gestão para microempreendedores, este aumento se deve não só às altas taxas de desemprego, mas também à preocupação das pessoas em regularizar suas funções para sair da informalidade e buscar novas formas de renda para contornar a crise.

Profissões que mais possuem registro

Hoje o Brasil conta com mais de 10 milhões cadastros. Se levarmos em consideração apenas as 10 profissões que mais possuem registro, elas já somam 36%, ou seja, mais de 3 milhões de pessoas.

Após a área da beleza, que representa 7,7%, temos comércio varejista de roupas e acessórios, obras de alvenaria e promoção de vendas, que representam 7,3%, 4,4% e 3,3%, respectivamente.

“Esses são setores que mesmo com a crise continuam movimentados. Varejistas de roupas e acessórios, por exemplo, conseguiram se adaptar e pensar em alternativas de delivery e vendas online.

Portanto, obras também continuam acontecendo por necessidade e as vendas se tornaram saída para muitas pessoas continuarem ativas no mercado”, pontua o executivo.

Como um caminho para sair da informalidade ou desemprego, “a formalização traz independência e benefícios ao pequeno produtor, comerciante ou prestador de serviços”, explica Carvalho.

Dentre as vantagens disponibilizadas pelo Governo estão o auxílio doença, caso sofra algum acidente ou venha a adoecer; auxílio maternidade e recurso emergencial, por exemplo, para ajudar neste período da crise do Covid-19.

“Além disso, o profissional pode criar novas oportunidades de trabalho, podendo vender e prestar serviços para empresas porque poderá emitir nota fiscal e também participar de licitações do Governo”, Finaliza.

Confira a lista completa das 10 áreas com maior registro de MEIs no Brasil:

1º: Profissionais da área de beleza (7,7% dos registros)

2º: Comércio varejista de roupas e acessórios (7,3% dos registros)

3º: Profissionais de Obras de alvenaria (4,4% dos registros)

4º: Promoção de vendas (3,3% dos registros)

5º: Lanchonetes, casas de chá, sucos e similares (2,6% dos registros)

6º: Fornecimento de alimentos preponderantemente para consumo domiciliar (2,6% dos registros)

7º: Mini Mercados, armazéns ou mercearias (2,3% dos registros)

8º: Atividades de estética e cuidados com a beleza (2,1% dos registros)

9º: Instalação e manutenção elétrica (1,9% dos registros)

10º: Serviços ambulantes de alimentação (1,9% dos registros

Fonte: Jornal Contábil

Para mais informações clique aqui

COMPARTILHAR

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

recepcao@zrpcontabilidade.com.br

(49) 3011-0187

(49) 99179-1447

Rua Hercílio Vieira, 146, Nazaré, Concórdia/SC

Apolo Sites © 2020 | Todos os direitos reservados